Prolapsos

Urogenitais

Os órgãos pélvicos são suportados por um sistema de músculos, fáscias e ligamentos.     O prolapso urogenital é a expressão de um distúrbio da estática pélvica, e pode ser explicado por lesões ou enfraquecimento da musculatura perineal que permite o agravamento das lesões das fáscias e o estiramento ou a ruptura dos ligamentos.
    A alteração do tecido conjuntivo de sustentação, o adelgaçamento dos ligamentos viscerais, a fragilização das fáscias e a involução muscular após a menopausa, são fatores importantes na gênese do prolapso. Além disso, a sobrecarga, a atividade esportiva intensa e situações de hiperpressão abdominal prolongada irão facilitar o aparecimento ou agravar um prolapso pré-existente.    . 

A perda ou enfraquecimento dos normais apoios pode ocorrer após traumas de qualquer zona do pavimento pélvico,

O Prolapso, embora comum, não é um resultado normal do parto e envelhecimento.

intervenções cirúrgicas, radioterapia pélvica e fraturas ósseas da pelve. Obesidade, tabagismo, tosse crônica

e levantamento de peso estão entre as condições mais predisponentes.      Como sintomas as pacientes relatam uma sensação de peso na vagina, que piora no final do dia ou durante evacuações, a dificuldade de iniciar a micção, o jato fraco ou disperso, o aumento da frequência urinária, a sensação de esvaziamento incompleto, bem como a incontinência durante o coito.    O Prolapso, embora comum, não é um resultado normal do parto e envelhecimento. E o papel da fisioterapia pélvica consiste em reforçar os músculos do assoalho pélvico e o transverso abdominal, além de orientar quanto às sinergias respiratórias, e manobras hipopressivas

Contate-nos
whatsapp-logo-icone.png